Os 5 melhores espaços culturais para visitar em Rio Branco

1. PALÁCIO RIO BRANCO: O Palácio Rio Branco foi inaugurado em 1930 e é onde fica instalada a sede do governo do estado do Acre. O estilo arquitetônico da construção faz uma releitura de elementos clássicos mesclados com o art déco. Ele está aberto ao público de terça a domingo e recebe milhares de turistas por ano, que tem a oportunidade de conhecer a história da formação do Acre, assim como o patrimônio cultural e arqueológico do estado, além dos geoglífos, que são formas geométricas de milhares de anos localizadas no Vale do Acre, a vida dos seringueiros e a luta de Chico Mendes. O endereço é na Avenida Getúlio Vargas, s/n, bairro Centro de Rio Branco, Acre. 2. MUSEU DA BORRACHA: O Museu da Borracha é administrado pela Fundação de Cultura Elias Mansour. Ele coleta, conserva e expõe os testemunhos da história sócio-econômica e da cultura material do Acre. Mantém atividades educativas permanentes e conta com um auditório com capacidade para 60 pessoas, áreas para atuação didático-cultural, uma biblioteca e um arquivo. Foi inaugurado em 1978 durante as comemorações do centenário da imigração nordestina para o Acre. Ele ocupa a função de central museológica do estado, destinando-se à guarda de parte significativa de seus registros documentais, históricos e culturais. O acervo do Museu da Borracha reúne mais de 5300 peças, distribuídas por diversos núcleos, como paleontologia (fósseis de animais pré-históricos), arqueologia (peças de um sítio arqueológico pirarrã, com vasos, urnas funerárias e utensílios em geral), etnografia (materiais de caça e de guerra, arte plumária, bordunas, cestaria, cerâmicas, adornos corporais e têxteis) e história sócio-econômica do Acre (peças ligadas à colonização do Acre e ao ciclo da borracha, como os equipamentos usados pelos seringueiros, além de vários objetos confeccionados a partir do produto). Tem também obras de arte, manuscritos, fotografias, periódicos e outros pequenos conjuntos. 3. MEMORIAL DOS AUTONOMISTAS: O Memorial dos Autonomistas Senador José Guiomard Santos foi inaugurado em 2002. O nome refere-se ao movimento político que emancipou o Acre, transformando-o de território em estado. É um espaço cultural, turístico e de memória. Ele fica localizado num prédio histórico, localizado no centro da cidade de Rio Branco. É um complexo onde se pode encontrar história, arte e cultura. Abriga shows, projetos e outras manifestações artísticas em três espaços interligados: uma galeria de arte, o Theatro Hélio Melo e o o Café do Theatro. Na galeria de arte, há uma exposição permanente sobre o Movimento Autonomista do Acre, bem como mostras e exposições mensais abertas ao público. Do salão, é possível ter acesso ao mausoléu em que estão os restos mortais de Guiomard Santos e sua esposa Lydia Hammes. O Theatro Hélio Melo, é um espaço para apresentações que tem capacidade de 150 lugares. O Café do Theatro está temporariamente fechado. O público que visita este espaço pode conhecer, ainda, jornais do período entre 1904 a 1962, fotos históricas do estado, objetos marcantes e narrativas sobre importantes fatos e personagens da trajetória do Acre. 4. O CASARÃO: O Casarão foi construído nos anos 1930 e fica localizado no centro da capital do Acre, Rio Branco. Ele serviu de residência para o governador do ex-território do Acre, Manoel Fontenele de Castro. O Casarão já foi alugado e se tornou um bar no anos 1980 e, pouco tempo depois, tornou-se também restaurante, servindo comidas regionais e alimentos naturais. O prédio foi tombado pelo Conselho Estadual de Patrimônio Histórico e Cultural em 2009 e é administrado pela Fundação de Cultura Elias Mansour. Virou, então, um espaço de atividades culturais e ponto de encontro de artistas, intelectuais, estudantes universitários, sindicalistas e militantes partidários, servindo de local de trabalho para muita gente produzir literatura, poesia e peças de teatro. Transformara-se, assim, em palco de apresentações artísticas, campanhas, exposições, reuniões de grupos de trabalho e ambiente de boemia noturna. 5. BIBLIOTECA PÚBLICA DO ACRE: A Biblioteca Estadual do Acre, também conhecida como Biblioteca Estadual Adonay Barbosa, é uma biblioteca pública inagurada em 1979, na cidade de Rio Branco, no Acre. Ela foi criada, é organizada e é mantida pelo governo do Estado do Acre. Em 15 de outubro de 2019 foi inaugurada uma reforma de melhoramentos do espaço que foi orçada em cerca de R$ 1 milhão de Reais. Ela está dividida nas seguints seções: leitura e pesquisa, suporte digital, filmoteca, espaço das Histórias em Quadrinhos, um setor infantil, um telecentro e restauração de Pequenos Reparos em livros e documentos bibliográficos.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo